Avaliação hidroquímica das águas subterrâneas do sistema aquífero Quelo-Luanda

##plugins.themes.academic_pro.article.main##

Maria João Manuel Pereira
Gabriel Luís Miguel

Resumo

Para o caso de Luanda e arredores, onde o complemento de abastecimento de água é feito através da captação de águas subterrâneas, estudos tem sido realizados no sentido de conhecer o comportamento hidroquímico do referido sistema aquífero. Pretendeu-se com esta investigação, avaliar as características físico-químicas das águas subterrâneas do sistema aquífero Quelo-Luanda num intervalo de quatro anos. A presente investigação, teve como base os resultados obtidos nas campanha realizada no ano hidrológico 2003/2004, e os determinados em 2007/2008, foram amostradas cerca de 53 captações de águas subterrâneas nas campanhas de 2007/2008 (época chuvosa), tendo sido realizadas medições in situ de alguns parâmetros físico-químicos como (temperatura, condutividade eléctrica e pH), para a determinação dos iões maioritários recorreu-se aos laboratórios da Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto, tendo sido utilizado a espectrofotometria de absorção atómica para a determinação das concentração dos iões (Na+, K+, Ca2+e Mg2+), o método volumétrico para determinar (Cl- e HCO3-) e o método gravimétrico para a determinar ( SO42- ). Os resultados mostram que do ponto de vista físico-químico as águas apresentam alta condutividade eléctrica, condicionadas em alguns casos pela distância das captações em relação a costa ou aproximação a alguns troços do rio Kwanza. Para os diferentes usos que se podem dar as águas subterrâneas análisadas a qualidade das da maior parte das captações não são de boa qualidade para o consumo humano em relação aos parâmetros analisados (carecem de tratamento como por exemplo a reducção de sais), para a irrigação algumas captações localizadas na zona próxima a linha de costa o uso dessas águas sugere certas precauções

Palavras-chave:
Angola Avaliação Hidroquímica águas subterrâneas Aquífero Quelo-Luanda

##plugins.themes.academic_pro.article.details##

Como Citar
Manuel Pereira, M. J., & Miguel, G. L. (2021). Avaliação hidroquímica das águas subterrâneas do sistema aquífero Quelo-Luanda. Revista Angolana De Geociências, 2(1), 200-210. Obtido de http://revista.cicga-uan.co.ao/index.php/RAG/article/view/66

Referências

  1. APHA, AWWA, WEF. (1992). Standard methods for the examination of water and waste water, 18th ed., Washington.
  2. BRADY, H.B. (1884/1998). Report on the foraminifera dredged by H.M.S Challenger, Zoology, Vol.9, p.810 – 814.
  3. CLÁUDIO, P. S. S.C. (2016). Caracterização Hidrogeoquímica de Águas nas Captações Situadas no Território do Rocha Pinto e Talatona – Angola.
  4. CUSHMAN, J.A. & JARVIS, P.W. (1940). Three new foraminifera from the Miocene Bowden marl of Jamaica. Contributions from the Cushman Foundation for Foraminiferal Research Vol. 12(1), p. 3-5 Coryell, H.N. and Rivero,F.C.
  5. CUSTODIO, E. LLAMAS, M. R. (1983). Hidrologia Subterranea. Barcelona (Espanha), Omega, 2 Tomos, p. 2.359.
  6. FEITOSA, F.A.C, FILHO, J.M (2000). Hidrogeologia: Conceito e aplicações. Fortaleza CPRM, LABHD, UFPE: p.412.
  7. GALLOWAY & WISSLER (1927). Globorotalia crassaformis Globigerina studies in foraminifery,Bulletin of the U.S. National Museum, Vol.215
  8. IGCA (1981). Mapa topográfio da República Popular de Angola E. 1:100.000. Folha nº 89 “Luanda”. Ministerio de Defesa. Instituto de Geodesia e Cartografi de Angola.
  9. LLAMAS, M.R. & CUSTODIO, E. (1999). El agua subterránea como factor de desarrollo sostenible. Revista Cidob d’Afers Internacional: p.45-46.
  10. MARIA PEREIRA (2012).Caracterização Hidrogeoquímica do aquífero Quelo-Luanda. Dissertação de Mestrado, Universidade Agostinho Neto, Angola.
  11. MIGUEL, G. L. (2006). Caracterización Hidrogeológica y Ambiental de Luanda y sus Alrededores. Tese de Doutoramento, Universidade De Alcalá, Espanha.
  12. MIGUEL, G. L. REBOLLO, L.F. & MARTÍN-LOECHES, M (2005). A utilização de águas subterrâneas como complemento ao abastecimento de Luanda e arredores (Angola). 7º Simpósio de Hidraúlica e Recursos Hídricos dos Países de Expressão Portuguesa. Ëvora,Portugal. Resumo de comunicações: p.108-109.
  13. OHLWEILER, O. A. (1974). Química Analítica Quantitativa. Rio de Janeiro. Livros Técnicos e Científios Editora.
  14. OHLWEILER, O. A. (1976). Química Analítica Quantitativa. Rio de Janeiro. Livros Técnicos e Científicos Editora.
  15. OHLWEILER, O. A. (1981). Química Analítica Quantitativa. Rio de Janeiro. Livros Técnicos e Científicos Editora.
  16. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (2011), 4ª edição, guias sobre a qualidade da água para consumo.
  17. RICHARDS, L.A. (1970). Diagnóstico y rehabilitacion de suelos salinos y sodicos. 5 ed. México: Centro Regional de Ajuda Técnica. 172 p. il (Centro Regional de Ajuda Técnica. Manual de Agricultor, 60)
  18. SILVESTRE, R. (2016). Monitoramento do sistema aquífero Quelo – Luanda. Tese de Licenciatura Faculdade de Ciências, UAN, Luanda p.43