Determinação de domínios gammaradiométricos como ajuda ao levantamento litológico e na selecção de zonas de concentração de elementos radioactivos, leste de Benguela e oeste do Huambo – sw da Angola

##plugins.themes.academic_pro.article.main##

Domingos Cordeiro
Alcides Pereira

Resumo

Com o processamentos de dados foi possível gerar produtos aerogamaespectrometricos, convertidos em mapas de potássio, tório, Urânio, ternários, razões Th/K, U/K, U/Th e o mapa de factor F, este ultimo, contribuiu no realce e discriminação de aspectos litológicos não detectáveis nem interpretáveis com facilidade nos mapas dos elementos de concentração isoladas de K, Th, U, bastante aplicado em áreas aonde ocorre forte alteração hidrotermal, nas áreas aonde ocorre o processo de intemperismo e lixiviação intenso do potássio, o parâmetro F apresenta geralmente valores bastante baixos, ao contrário com que acontece nas áreas de alteração hidrotermal enriquecidas de potássio e urânios, apresentando valores geralmente altos. Os mapas ternários dos radioelementos RGB e CMY, mapas de potássio, tório e urânio, contagem total foram bastante úteis na identificação dos principais domínios litológicos interpretados, como ilustrado na figura nº09. Em que as zonas associadas aos granitos apresentaram valores muito altos de radioactividade e também assinalou-se anomalias com valores altos nas argilas, carbonatitos e grupo Oendolongo, carecendo de levantamentos de litológico e geoquímica para confirmação e obtenção de teores dos radioelementos. Comprovou-se a eficácia da gammaradiometria na identificação dos domínios litológicos e selecção de zonas potenciais de minerais radioactivos, alvos de prospecção, figura nº10.

Palavras-chave:
Aerogamaespectrometria domínios e alteração hidrotermal

##plugins.themes.academic_pro.article.details##

Como Citar
Cordeiro, D., & Pereira, A. (2021). Determinação de domínios gammaradiométricos como ajuda ao levantamento litológico e na selecção de zonas de concentração de elementos radioactivos, leste de Benguela e oeste do Huambo – sw da Angola. Revista Angolana De Geociências, 2(1), 212-221. Obtido de http://revista.cicga-uan.co.ao/index.php/RAG/article/view/67

Referências

  1. ALMEIDA, J. (1953). Estudos dos minerais radioactivos de Cacuso, Lucala e Elege.
  2. ARAÚJO. A. G. (2001). Indice dos recursos minerais de Angola. Angola.
  3. ARAUJO, A. G. (1992). Notícia Explicativa da Carta Geológica à escala 1:1.1000.000.
  4. CARVALHO. H. (1971). Noticia Explicativa da folha Geológica de Angola à escala 1:250.000 da folha Sul D - 33/U.
  5. CITIC-PLANAGEO. (2017). Relatório do levatamento aerogeofísico do bloco CITIC 5 - Norte de Angola.
  6. NETO, L. F. (2003). Gamaespectrometria integrada a dados exploratórios multifonte em ambiente SIG aplicada à prospecção de Ouro na folha Botuverá,.
  7. MARQUES. M. M. (1977). Noticia Explicativa da folha geológica de Angola á escala 1:100.000 da folha nº 378 - Chibemba.
  8. MINTY, B. (1997). Fundamentals of airbone gamma-ray spectrometry AGSO Journal of Australian Geology & Geophysics
  9. P.KEARY, M. I. (2002). An Introduction to Geophysical Exploration. Blackwell Science Lts 3 ed, 281p.
  10. R. RUDNICK, S. G. (2004). composition of the continental crust in: holland H.D., Turekian N.N.eds. treatics on geochemistry. Oxford: Elsevier Pergamon.
  11. R.W.BOYLE. (1982). Geochemical prospecting for thorium and uranium deposits Amsterdam: Elservier. (developments in Economic Geology.
  12. RIBEIRO, M. S. (2013). Aerogamaespectrometria e suas aplicações no mapeamento geológico.
  13. SHIVES, R. C. (1997). The detection of potassic alteration by Gamma-Ray Spectrometry- Recognetion of alteration related to mineralization: in proceedings of Exploration 97: Fourth decennial conference on mineral exploration.pp. 771-752.
  14. ULBRICH, F. F. (2009). Levantamentos Gamaespectrométricos em Granitos Diferenciados, I: revisão da Metodologia e do Comportamento Geoquímico dos elementos K,.
  15. TELFORD, L. G., & SHERIFF, R. (1990). Applied Geophysics. Cambrige University Press 770.1990